28 de mai de 2017

Sem Cerimônia: em RESIDÊNCIA


De 30 de maio a 08 de junho, o Conectivo Corpomancia, de Mato Grosso do Sul, embarca para Mato Grosso e Goiás, com o projeto ‘Sem cerimônia: em Residência’, contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015. Serão realizadas intervenções nas cidades de Rondonópolis, Cuiabá, Aparecida de Goiânia e Goiânia com o trabalho “Sem cerimônia: ser cidade”. Além das intervenções será realizada uma ocupação com exibição da videodança “me=morar: o corpo em casa” em duas destas cidades: Rondonópolis-MT e Goiânia-GO.


‘Sem cerimônia: ser-cidade’, traça uma relação entre o corpo e a cidade (suas calçadas, vitrines, postes, faixas de pedestre, monumentos, pontos de ônibus, meio fios e pessoas), com o propósito de pesquisar a fronteira entre movimentos cotidianos e dança. As intervenções urbanas acontecem pelas ruas da cidade, sem aviso prévio, o objetivo é provocar um ruído no cotidiano urbano e chamar atenção para as questões do corpo na rua. Ariane Nogueira, Franciella Cavalheri, Henrique Lucas, Marcos Mattos e Ralfer Campagna são os intérpretes-criadores que dão vida as ações.

A intervenção busca assinalar a poética das cidades, dos seus espaços de conviver, de transitar, de se relacionar e assim provocar sensações no cotidiano das pessoas que eventualmente possam ter um contato, ainda que breve e inesperado, com a arte e com a dança, em seu dia a dia.

Para a ocupação, em Goiânia, foi escolhida a Antiga Estação Ferroviária e, em Rondonópolis, foi escolhido o Casario, complexo arquitetônico e sócio-cultural composto por 24 casas feitas de adobe e alvenaria (estilo anos 40), que abrigaram as comitivas do patrono da Comunicação, Marechal Rondon, durante as expedições para a instalação das linhas telegráficas na região. Nestes locais será criada e apresentada uma ação cerimoniosa, promovendo a discussão sobre a dança nos contextos urbanos. Durante esta atividade será exibida a videodança “me=morar: o corpo em casa”, que foi produzida a partir do espetáculo “me=morar”, criado e apresentado em uma casa na Vila dos Ferroviários em Campo Grande-MS, viabilizado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2008. A videodança explora a questão da memória trazendo à tona sensações despertadas pela casa antiga, daí a escolha da Estação e do Casario para a exibição do material, um lugar histórico da cidade e que tem similaridade com o local onde o vídeo foi gravado.


O projeto ‘Sem Cerimônia’ foi executado pela primeira vez em 2012 por meio do Prêmio Funarte Artes na Rua 2011, que proporcionou ao grupo novas possibilidades de experimentar a dança e a sua inserção no dia a dia das pessoas. Com intervenções na rua e na antiga rodoviária da capital sulmato-grossense, o Conectivo pôde experimentar e propor ruídos no cotidiano das pessoas a fim de aproximá-las dos movimentos de dança e da fronteira tênue entre esses ‘movimentos’ e o movimento comum delas. O sucesso da proposta estimulou o grupo de artistas a buscar novas oportunidades de apresentá-la ao público, assim nasceu a ideia de levar este trabalho para quatro cidades da região centro-oeste: Rondonópolis-MT, Cuiabá-MT, Goiânia-GO e Aparecida de Goiânia-GO.

Ficha técnica
Concepção do projeto: Yan Chaparro

Intérpretes-criadores das intervenções: Ariane Nogueira, Franciella Cavalheri, Henrique Lucas, Marcos Mattos e Ralfer Campagna
Trilha sonora: Jonas Feliz
Realização: Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015
Apoio: SESC MT

Produção: Arado Cultural (Roberta Siqueira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário