5 de jul de 2011

:: gota

Na aula de "Dança e tecnologia" da pós-graduação, ministrada pela profª Ivani Santana, a tarefa era fazer um vídeo de 30 segundos, construído por pelo menos 4 ângulos.

Eu tinha pensado nesse cara dormindo, e uma mulher surgindo gotejando do teto do quarto. Foi difícil a tarefa de suspender a Júlia Aissa no ar, mas deu certo, com os músculos do Werther Fioravanti e do Daniel Garcia. O Yan tava lá pra palpitar. Ajudou pouquinho, pouquinho, mas tava lá. Era de madrugada, o nosso delírio.

Edição (e equipamento) com Helton Pérez.
E o Werther Fioravanti se mostrou um ótimo ator. Foi bonito de ver. Aquele diretor, o Wong Kar Wai, disse que não vê diferença entre um cantor ou um ator; que os artistas são artistas, oras. Isso faz sentido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário